Tudo que você sempre quis saber sobre o siso

Tudo que você sempre quis saber sobre o siso


dente-siso

O dente siso ou terceiro molar é o último dente a nascer na arcada superior e inferior, normalmente isso acontece por volta dos 16 aos 20 anos de idade, e por este motivo são conhecidos como “dente do juízo”.

 

Os dentes sisos, muitas vezes são os grandes temores dos pacientes, pois, junto ao seu nascimento podem aparecer alguns problemas, isso visto que, quando eles surgem todos os outros dentes já estão acomodados, por isso, eles podem nascer de maneira agressiva e nem sempre haverá espaço suficiente para eles.

 

Há algum tempo atrás, quando as pessoas não tinham tanto acesso e recursos para os cuidados com a higiene bucal e perdiam os dentes mais cedo pela ação de cáries, os sisos eram fundamentais, pois como nascem mais tarde e garantiam a essas pessoas que a mastigação não tão fosse prejudicada pelos dentes perdidos anteriormente. Atualmente, com todos os avanços da área de tecnologia e odontologia, as pessoas estão mantendo sua saúde bucal em dia e com isso conservando todos os dentes saudáveis, fazendo com que essa antiga função dos dentes sisos não exista mais.

 

O que ninguém sabe é que nem todo mundo precisa retirar os sisos. Algumas pessoas nascem com os sisos alinhados e por isso não precisam retirá-los. Mas, a grande maioria, pelos problemas que o nascimento destes dentes pode causar, necessita passar pela cirurgia de retirada. Essa cirurgia geralmente é muito simples, é realizada com anestesia local, porém, em casos mais complexos, pode ser que o paciente seja encaminhado ao hospital para fazer o procedimento.  O grau de complexidade será  definido após consulta para avaliação clinica do paciente e análise de exames radiográficos (ortopantomografia/panorâmica), e se necessário, tomografia computadorizada. Nesta consulta será observado a posição deste dente siso e sua relação com as estruturas anatômicas faciais  (semi incluso, incluso, horizontal, vertical, impactado, inclinado).

Radiografia panorâmica para avaliação dos sisos.
Radiografia panorâmica para avaliação dos sisos.

 

Além destes fatores, será investigado o quadro geral de saúde do paciente e se necessário será solicitado exames médicos de rotina (hemograma, coagulograma, urina, creatinina, glicose e etc…)

Outro fato que muita gente não sabe é que algumas pessoas nascem sem os sisos. A evolução da espécie humana relacionada a padrões alimentares dos últimos séculos pode fazer com que as próximas gerações nasçam sem o germe do dente.

 

Existem alguns alertas sobre os dentes do siso

 

– Não é comum sentir dor ou sangramento durante o nascimento dos dentes do siso! Dores e sangramento estão associados a algum tipo de infecção ou inflamação, por isso, é necessária avaliação de um dentista para entender a situação bucal no caso destes sintomas;

 

– Quando se extrai um siso, o ideal é que extraia também o seu antagonista. Por exemplo, se eu houver a necessidade de extrair o siso inferior direito, é aconselhado que também se extraia o siso superior direito. Desta forma, evita a extrusão dentária e um desalinhamento na arcada, além de mordedura de bochechas.

 

– Não é necessário que os dentes estejam visíveis para serem removidos. Dentistas e cirurgiões buco-maxilo saberão dizer, após avaliação e radiografia, quais são as necessidades e situação da sua saúde bucal;

 

Principais problemas relacionados ao nascimento do siso:

Pericoronarite: é um processo inflamatório que acontece ao redor da coroa de um dente parcialmente erupcionando. Causa dor intensa, gosto ruim na boca e incapacidade de fechamento das arcadas devido a presença de edemas. O que causa a pericoronarite é o acúmulo de restos alimentares e bactérias presentes abaixo do tecido, além disso, o estresse e infecções são fatores predisponentes. Muitas vezes, o paciente acredita que este desconforto é devido ao nascimento do dente, e quando ele terminar de nascer o problema será eliminado, mas, nem sempre é assim, pois as vezes este dente siso está mal posicionado ou impactado dentro do osso e não tem condições de terminar de nascer, podendo provocar essa situação repetidas vezes.

Apinhamento dental:  Essa situação é popularmente conhecida como dentes tortos e desalinhados. A causa desse problema é multifatorial, mas, basicamente é devido a falta de espaço na arcada para o nascimento de algum dente.  Esses problemas podem afetar a fala e a estética facial. Os dentes apinhados também podem facilitar o aparecimento de cáries e doenças gengivais, Acredita-se que quando não há espaço adequado para o nascimento do siso, o mesmo possa contribuir em entortar os demais dentes.

 

O fenômeno dos dentes inclusos: Por que meu dente não nasceu?

Os dentes inclusos são dentes que não nasceram, ou seja, não houve erupção dentária. Existem várias origens para este problema:

– Falta de espaço na arcada dentária

– Dentes muito volumosos

– Obstáculo oferecido por dente vizinho

– Resistência do tecido ósseo

– Resistência da fibromucosa que o recobre por sua densidade

– Permanência exagerada de dentes decíduos na arcada

– Perda prematura dos dentes decíduos alterando a posição dos permanentes

– Tumores odontogênicos

 

Mas por que eu devo extrair os meus dentes do siso?

O melhor período para retirar os dentes sisos é entre 15 e 20 anos, pois é quando a cicatrização é melhor. A decisão de retirar um ou mais dentes do siso é sempre do seu dentista. Nem sempre é necessário extrair os dentes do siso, caso haja espaço para o dente do siso se acomodar na boca é possível conviver com ele. Porém, para muitas pessoas a principal indicação é a sua extração, por isso, para evitar complicações clínicas, é sempre bom visitar o dentista para que ele possa recomendar a extração ou não destes dentes. Existem alguns motivos para você extrair seus dentes do juízo:

– Prevenção da doença periodontal

– Prevenção da cárie dental

– Prevenção da pericoronarite

– Prevenção da apinhamento dental

– Prevenção da reabsorção radicular

– Dentes retidos sob próteses dentárias

– Prevenção de cistos e tumores odontogênicos

– Prevenção de dor de origem desconhecida

– Prevenção de fratura da mandíbula

– Facilitação do tratamento ortodôntico

– Otimização da saúde periodontal

 

Cada cirurgia tem sua particularidade!

Esse é o primeiro lembrete, pois, cada indivíduo requer uma técnica. Existem cirurgias que podem ser bem rápidas e outras que podem demorar bastante, isso varia principalmente pela posição do dente no osso.

Exames como panorâmica e tomografia são para examinar primeiramente a posição do siso e também verificar a relação das raízes com o nervo alveolar inferior, existem casos onde a raiz do siso, pode estar muito perto do nervo podendo causar parestesia transitória, portanto todo cuidado é pouco. Existem casos mais simples e outros mais complexos, por isso, devemos planejar com bastante cuidado a cirurgia.

É possível fazer a remoção dos 4 dentes do siso em uma única cirurgia, com duração média de 1 hora. Raramente existe a necessidade de anestesia geral e sedação.

 

E o pós-operatório? Como é?

Vale ressaltar que, para que haja o sucesso da cirurgia e diminuição dos incômodos após a cirurgia, além da habilidade e conhecimentos do profissional, há a necessidade da colaboração do paciente também. Antes da cirurgia o dentista irá passar todos os cuidados do pós-operatório, para que ele possa se programar. São cuidados com a alimentação, repouso moderado durante 3 dias e medicação adequada para garantir mais tranquilidade ao paciente. A recuperação completa se dá por volta de 10 dias após a remoção dos sisos.

 

Quais complicações podem surgir? O que eu faço?

Todos os pacientes saem da cadeira do dentista com dúvidas e interrogações sobre o que fazer em seguida. Claro que o dentista indicará todos os cuidados a serem praticados e como evitar qualquer complicação, mas, ainda assim algumas delas podem surgir e você deve saber como agir:

– Inchaço: o edema é o efeito mais comum de uma extração do siso, por conta da manipulação dos tecidos. Geralmente, basta aplicar gelo no local e fazer uso dos medicamentos anti-inflamatórios prescritos pelo seu dentista.

– Sangramento: as pequenas hemorragias devem ser tratadas com compressa local.

– Parestesia ou Falta de sensibilidade no lábio: a manipulação local pode causar este problema, mas ele é passageiro.

– Trismo: a dificuldade de abrir a boca pode ocorrer por conta do tempo em que o paciente permaneceu com a boca aberta durante a cirurgia. Este incômodo também é passageiro.

Para saber sobre a necessidade de remoção dos seus dentes do juízo, consulte um dentista. Só ele poderá avaliar e informar com precisão a necessidade de cirurgia ou tratamentos. Confie em seu dentista. A principal maneira de evitar preocupações e medos, é ter uma boa relação com o profissional, assim todo o procedimento será mais tranquilo.

Procure sempre um profissional capacitado. A extração por profissionais não capacitados podem trazer danos irreversíveis. O profissional capacitado todos os riscos são minimizados.

 

Postei um vídeo nas redes sociais, esclarecendo as dúvidas mais frequentes dos meus pacientes, clique aqui para conferir.

 

Share:

Deixe uma resposta